Comunicação de Risco e Envolvimento da População

“Quais as diferenças entre comunicação de risco e comunicação de crise?”

“Em situações de emergência e/ou ameaça grave à saúde pública a melhor estratégia é informar as pessoas com transparência e verdade, esperando que adotem os comportamentos desejados, ou pelo contrário, devo partir do princípio de que as pessoas só mudam comportamentos se a isso forem obrigadas e coagidas?”

Para o ajudar a comunicar com eficácia quer em situações de risco quer em situações de crise, desenvolvemos um programa de formação em comunicação de risco e envolvimento da população especialmente vocacionado para os municípios.
Este programa foi desenhado para se adaptar às suas necessidades e constrangimentos, promovendo uma aprendizagem célere, consolidada e pragmática.

Objetivos:

Este módulo de formação visa dotar os participantes com os conhecimentos e ferramentas que lhes permitam:

  1. Criar uma rede de “apóstolos” — líderes de opinião que auxiliam uma boa comunicação.
  2. Definir os objetivos que se pretende atingir — mudanças de comportamentos.
  3. Definir a estratégia de comunicação — o segredo do sucesso.
  4. Criação de war room team — necessidade de centralizar o processo de comunicação.
  5. Definição do(s) porta-voz(es) e suas características.
  6. Elaboração de guião de comunicação de risco.
Público-Alvo:

Este programa tem como principais destinatários os titulares dos órgãos executivos do município, os técnicos municipais, e todos os agentes locais cuja colaboração e cooperação é indispensável a uma comunicação de risco eficaz, nomeadamente os representantes dos principais meios de comunicação locais e as forças de segurança.

Metodologia:

Este módulo de formação integra três sessões de trabalho síncronas e uma sessão assíncrona.
As sessões síncronas têm a duração de três horas e estão divididas em quatro blocos de 45 minutos.
Cada bloco de 45 minutos é constituído por um sub-bloco expositivo de 20 minutos, seguido de um sub-bloco de interação e dinâmica de grupo, também ele com a duração de 20 minutos.
Entre cada bloco de 45 minutos existe um intervalo de cinco minutos.
A sessão assíncrona é reservada à resolução de um caso prático pelos grupos de trabalho.
Todas as sessões decorrem online através da plataforma ZOOM.
Todos os módulos de formação têm um tutor que apoia e acompanha pessoalmente todos os formandos e que constitui o elo de ligação com os formadores.

Material de apoio:

Os formandos têm acesso online a uma “caixa de ferramentas” onde encontram artigos, check lists, bibliografia complementar e os slides apresentados em cada uma das sessões.
Para obviar o esquecimento que naturalmente ocorre com o passar do tempo, recorremos a uma solução de gamming, através da qual as pessoas aprendem jogando.
Trata-se de uma aplicação para telemóvel que disponibiliza um jogo que permite aos formandos de uma forma divertida e descontraída reterem mais de 80% da informação básica necessária.
O “jogo” tem vários níveis que precisamos de completar e permite-nos desafiar os restantes “jogadores” para ver quem consegue obter a pontuação mais elevada.

Deixe uma resposta