Presidente da República defende entendimento político e social para a Saúde

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, defendeu um acordo entre os partidos políticos e os parceiros sociais para uma lei plurianual na área da saúde.

“Era bom para o país que não se estivesse todos os anos a discutir a cada orçamento como é a Saúde em Portugal. Os problemas da Saúde são a prazo: a demografia, as doenças crónicas, os cuidados continuados, o planeamento de novas estruturas são a prazo”, afirmou Marcelo Rebelo de Sousa aos jornalistas, depois de ter discursado num encontro das Ordens Profissionais da Saúde, que decorreu hoje em Lisboa, sobre `o futuro do financiamento da Saúde em Portugal`.

Na sua intervenção, o Presidente da República defendeu que “é preciso haver um acordo básico entre partidos políticos e parceiros económicos e sociais, ou terá de se continuar a pensar legislatura a legislatura, ou mesmo só ano a ano, ou seja, orçamento a orçamento”.

“Sabemos que muito depende da situação económica e financeira internacional e interna, em particular da situação orçamental, sabemos que vivemos incertezas e imprevisibilidades das mais complexas, sabemos que um ano eleitoral como este, e a disputa parlamentar e extraparlamentar que inevitavelmente o acompanha não tornam óbvios os entendimentos, mas vale a pena ir tentando”, considerou.

Em causa está a defesa, por parte das ordens profissionais da Saúde, como noticiou a imprensa em dezembro passado, da criação de uma lei plurianual da Saúde, que Marcelo Rebelo de Sousa disse hoje ser uma “muito boa iniciativa”.

Também o ministro da Saúde, Adalberto Campos Fernandes, defendeu hoje, no mesmo encontro, “a realização de orçamentos plurianuais” para o setor, que apontou como uma medida “útil”.

 

Deixe uma resposta