€656 Milhões é o impacto económico anual dos dias não trabalhados devido à espondilite anquilosante (EA)!

É este o resultado de um estudo elaborado pela NOVA IMS com a participação da Sociedade Portuguesa de Reumatologia e que contou com o apoio da NOVARTIS.

O estudo, apresentado no decorrer da Conferência  – “Doença Crónica – Saúde, trabalho e sociedade. Políticas públicas: que medidas a implementar?”– revelou alguns números impressionantes:

  • 1786€ é quanto um doente gasta em média anualmente do seu bolso, ou seja, um total de €84 Milhões por ano suportado pelos doentes.
  • €118 Milhões é quanto o SNS gasta anualmente com a EA.

Foi também avaliado o estado de saúde dos doentes, identificando aspetos determinantes para o seu melhoramento. Assim, o diagnóstico precoce, a terapêutica com medicamentos biológicos e o recurso ao SNS simultaneamente com o setor privado, representou um melhoria no estado de saúde dos doentes de 38 pontos, numa escala de 100.

O estudo concluiu que o diagnóstico e o tratamento precoce, associados a uma terapêutica adequada, são um investimento e não uma despesa, uma vez que os custos para o SNS (€118 Milhões ), são substancialmente inferiores ao impacto económico negativo da doença (€656 Milhões).

Deixe uma resposta